voltar para Ardour <- você está em 2. Ardour Básico -> próximo tópico 2. Ardour Básico - continuação


Manual do Ardour: 2. Ardour Básico





2.1. Sessões

Este capítulo fala dos princípios de como começar um novo projeto no Ardour, assim como configurar esta sessão.

Iniciar o sistema - JACK

Para que o Ardour faça qualquer coisa, você precisa iniciar o JACK. Veja a página do JACK para mais detalhes sobre como iniciar e configurar este programa.

Criando uma nova sessão

A primeira etapa em começar um projeto novo no Ardour é criar uma sessão nova. Quando você fizer isso, o Ardour irá criar uma nova pasta em local e nome escolhido por você, e armazenará tipos diferentes de arquivos em subpastas dentro desta pasta com o nome da sessão. As duas subpastas mais importantes são os “sons” (sounds - que contêm todo o áudio gravado ou importado para a sessão) e “automação” (automation - que contem dados da automatização para várias partes da sessão).



Quando você inicia o Ardour sem especificar uma sessão existente, ele traz automaticamente o diálogo para nova sessão. Caso isso não aconteça, se você quiser criar uma nova sessão, clique em “Sessão” \textgreater “Novo” na bara de menús, no canto superior da interface.

Insira um nome para a nova sessão. Você pode usar todos os caracteres que quiser, mas saiba que qualquer exceção aos caráteres alfabéticos e numéricos será convertida aos “underscores” para dar forma ao nome na pasta da sessão.

Em seguida, escolha o diretório onde você quer armazenar a pasta dessa nova sessão. Clique “Localizar” para expandir o navegador de arquivos, e então escolha a localização desejada para sua sessão.



Configuração do I/o

Em seguida, configure o I/O (in/out - entradas e saídas de som) para a sessão. Você tem diversas escolhas aqui, e não fazer nada é uma delas. Não fazendo nada você criará uma sessão que incluirá:

  • trilha “master” estéreo conectada às duas primeiras saídas de sua placa de som.
  • toda a nova trilha criada terá suas saídas conectadas automaticamente à trilha “master”.
  • todas as entradas das novas trilhas serão conectadas às entradas de sua placa de som.

Entretanto, se você quiser mais controle sobre estas conexões de entrada e saída de som, clique sobre “Configuração” para mostrar o menú de opções:



Saídas Master

Uma saída master é uma trilha a qual todas (ou a maioria) das trilhas/bus emitem o sinal de sua saída. A saída master fornece um ponto de controle único, batante conveniente, para controlar a saída de som de todo Ardour, além de ser um local para aplicar efeitos na sessão como um todo. Por causa disso, por padrão, o Ardour utiliza as saídas masters.

Saídas de Controle

As saídas de controle, são saídas alternativas à saída master, para onde é possível enviar o sinal de determinadas trilhas sem interferir no sinal enviado para as saídas master. Um uso bastante útil das saídas de controle é o caso da gravação ao vivo, que permite solar, ou silenciar, determinado sinal durante a execuçãosem interferir na gravação.

Ao finalizar a configuração de sua sessão, não esqueça de clicar no botão “Criar”.

Adicionando trilhas

Cliique em “Sessão” \textgreater “Adicionar Trilha/Barramento” (Add).



Na janela, escolha quantas trilhas/barramentos você deseja adicionar e as suas configurações de I/O.

Para renomear uma trilha (isso é bastante indicado ANTES da gravação, pois assim o arquivo de áudio gravado é automaticamente nomeado a partir do nome da trilha), tanto na interface de editor, como na de mixer, clique no nome da trilha (Áudio 1, Áudio 2, etc.), e digite o novo nome da trilha.

Abrindo uma sessão

Você pode abrir uma sessão de duas maneiras:

  • clique em “Sessão” \textgreater “Abrir”, e então o selecione a sessão que você deseja abrir. A sessão é o “nomedasessão.ardour”, que fica dentro da pasta criada quando a sessão for criada.
  • inicie o o ardour em uma linha de comando (digite: ardour), especificando a pasta da sessão como um argumento.

Sessões recentes


A opção do menu “Sessão” \textgreater “Recente” permite que você escolha entre às sessões que você trabalhou em recentemente.

Salvando uma sessão

Clique em “Sessão” \textgreater “Salvar”

O Ardour irá salvar sua sessão cada vez que você adicionar uma trilha/barramento, e após cada captação. Salvar a sessão regularmente a cada alteração irá assegurar que seu trabalho esteja sempre seguro.

Isso irá salvar mudanças que você fez na sessão, e irá escrever uma nova sessão no lugar da velha. Esta ação não poderá ser desfeita.

Limpeza da sessão

Em “Sessão” \textgreater “Limpar” \textgreater “Limpar fontes não usada”, serão apagadas as trilhas de áudio que foram gravadas mas não estão em uso. “A trilha em uso” é aquela que está “presente em alguma trilha do playlist ou em qualquer instantâneo da sessão”. Se você tiver trilhas não utilizadas (por exemplo captaões descartadas), esta ferramenta poderá suprimi-los para você. Estas trilhas serão movidas para o diretório “dead sounds” dentro da pasta da sessão (veja acima em “3.2 Criando uma nova sessão”). Neste momento, você ainda pode utilizar os arquivos desta pastam (apesar desse processo ser um tanto complicado).

É aconselhável (mas aconselhável mesmo) que após esta etapa de limpesa, você salve, reinicie a sessão e confirme que a sessão ainda trabalha como esperado. Se tudo for bem (e deve), você pode então fazer o 2o passo de limpeza e remover as trilhas dos “dead sounds” definitivamente clicando em “Sessão” \textgreater “Limpar” \textgreater “esvaziar lixeira” (neste caso, o material não será recuperável caso você não tenha alguma cópia de segurança).

2.2. Configurando a entrada e a saída de som de seu computador

Antes de começar a usar o Ardour, é necessário que a entrada e a saída de som de seu computador estejam configuradas corretamente. Existem duas características para este processo:

  • a placa de som funcionando corretamente.
  • o JACK configurado para trabalhar com a placa de som.

JACK

É extremamente importante compreender que o Ardour não interage diretamente com as entradas e saídas da placa de som enquanto funciona. Todos os dados recebidos pelo Ardour para gravação, assim como os dados que são enviados pelo ardour para a saída da placa de som, são emitidos via JACK [http://jackaudio.org/} (JACK Audio Connection Kit).

Portanto, ((JACK)) é um software que distribui os dados de áudio da placa de som para os demais softwares, assim como entre as aplicações, em tempo real. Cumprindo a função de servidor da placa de som (patchbay).

Tradicionalmente, as fontes áudio que você deseja gravar, assim como efeitos de processamento de áudio (conhecidos como periféricos, pré-amplificadores, compressores e equalizadores), estão "fora" de seu computador. Conseqüentemente uma das ações mais imortantes num estúdio é mover os dados áudio de dentro para fora, e de fora para dentro, do computador.

Entretanto, com o desenvolvimento tecnológico, é cada vez mais comum que os estúdios utilizem fontes de áudio, assim como processamento de efeitos via software, ou seja, aplicações que estão dentro do cumputador, tornando cada um dos softwares uma estação de áudio digital completa.

Um novo o problema surge em tais situações, porque movendo o áudio entre as aplicações já não envolve sua placa de som. Assim sendo, os dados têm que ser movidos de um software para outro, de preferência com a mesma sincronização da amostra (sample rate). Este é um problema que foi resolvido há algum tempo (os softwares proprietários ReWire da PropellerHeads e DirectConnect da Digidesign são dois exemplos mais comuns), mas o JACK é um projeto novo desenvolvido pela comunidade do software livre, e está disponível para qualquer pessoa usar, aprender, desenvolver ou modificar.

Os novos usuários não podem imaginar o quanto seu computador poderá se tornar uma ferramenta extremamente flexível e poderosa ao utilizar o JACK - especialmente com Ardour agindo como o "coração" do sistema.

::::

Botando a placa de som para funcionar

Nota: embora o Ardour funcione em sistemas OS X, assim como em Linux, esta documentação descreve somente o processo em sistema Linux utilizando o driver ALSA[http://www.alsa-project.org/} (Advanced Linux Sound Architeture). As configurações para OS X tendem a ser inteiramente diferentes, e são centralizadas na maior parte no JACK. Também existem outras alternativas para "drivers" de sua placa de som em Linux além do ALSA, mas não serão discutidos aqui.

Configurar a placa de som para funiona com o JACK e o Ardour pode ser a parte mais difícil de ajustar em seu computador, ou pode ser a mais fácil. O nível de dificuldade dependerá do tipo de sua placa de som, da versão do sistema operacional que você usa, e de sua própria compreensão de como o sistema trabalha como um todo.

Em um mundo ideal, seu computador tem já uma placa de som funcionando, e tudo que você precisa é iniciar o "qjackctl" e dar um "play" no programa para deixar o JACK funcionado. Se você estiver nessa situação ideal, faça alguns testes simples em sua máquina. O teste o mais óbvio é tocar um arquivo de áudio e ver se sai algum som de seu computador. Se você escutar algo, você pode saltar adiante para Selecionando uma fonte da captação.



Verificando a placa de som

Se você nunca tocou áudio em seu computador antes, você deve usar qualquer programa para tocar um arquivo tal como o alsaplayer, aplay, ou XMMS e colocar algum arquivo para tocar (o comando "locate .wav" pode ajudar). Há diversas possibilidades:

  • você escuta o áudio sem problemas - ok, bola pra frente!
  • o programa dá um "erro" - provavelmente o software escolhido para reproduzir o som não funciona com o JACK. Se estiver usando o XMMS, verifique se em "Opções" \textgreater "Preferências" o plugin de saída utilizado é o "jack Driver" (libjackout.so)
  • você não ouve nada - verifique no alsamixer (digite "alsamixer" num terminal de comando), se o volume da saída de sua placa de som ("master"), estão silenciados ("mute - aparece um símbolo "M" na base do canal).
  • você ouve algo, mas muito baixo - reproduza os passos acime e aumente os volumes no alsamixer.
  • você ouve algo dos loudspeakers errados

Rode o comando "alsaconf" num terminal para configurar sua placa de som.

Selecionando uma fonte da captação

Muitas placas de som, particularmente as mais baratas que vem embutidas na placa mãe do computador (placas de som "on board"), têm duas "entradas" de áudio (1) "mic" para microfones e (2) "line" para instrumentos . Isto gera uma pergunta: como faz o Ardour (ou o algum outro software) para saber qual sinal gravar, esse que vem na entrada do microfone, ou na entrada em linha? (A mesma pergunta levanta-se também para placas de som "high-end", de maneiras diferentes.)

A resposta curta é: O Ardour não faz. Assim sendo, esta é uma escolha que você tem que fazer usando um programa que saiba como controlar a as entradas e saídas da placa de som. São os conhecidos "mixers". Linux/ALSA oferece diversos programas: o alsamixer, gamix, aumix, kmix são alguns deles. Cada um deles oferece uma maneira de selecionar enter os sinais possíveis serão utilizados como fonte de captação. Como você seleciona o sinal preferido varia de programa para programa, assim, você deverá consultar a documentação de ajuda para qualquer programa você for usar.

Há também programas específicos que oferecem maneiras de controlar determinado tipo de placa de som. Por exemplo, o programa "hdspmixer" oferece o controle sobre as entradas e saídas de som para diversas placas de som RME. "envy24ctrl" faz o mesmo para as placas de som construídas com o chipset ice1712/envy24, como as placas de som da M-Áudio, Terratec entre outras marcas. Note que isto é completamente similar à situação para os usuários de Windows e de MacOS, aonde cada placa de áudio vem frequentemente com seu próprio programa de controle que permite determinada configuração e escolhas a serem feitas.

Eu não tenho nenhum sinal enquanto gravo :(...

O problema o mais comum para usuários iniciantes em Linux é tentar gravar algo e não obter nenhum sinal de áudio para gravação, ou um sinal muito baixo. O problema de "sinal baixo" geralmente é fruto de uma ou de mais das seguintes opções:

  • O microfone esá conectado na entrada "linha" da placa de som - Os níveis do sinal dos microfones são muito pequenos, e requerem amplificação para que possam ser usados pela maioria de circuitos de áudio. Em estúdios de gravação profissionais, isto é feito usando um "periférico" chamado pré-amplificador, ou mesmo algumas mesas de som, que tem pré-amplificadores embutidos. Se sua placa de som tiver um conector "input mic", itso significa que ela tem seu próprio pré-amplificador embutido, embora seu desempenho provavelmente não seja muito bom. Se você conectar um microfone na entrada "linha" de sua placa, você obterá um sinal inaudivel ou muito baixo.
  • A fonte de captação foi selecionada erradamente no mixer da placa de som (ver acima).
  • O nível do ganho da "captação" da entrada da placa de som é muito baixo. Você precisará de um pré-amplificador, ou uma mesa de som para aumentar este nível (como descrito acima).

Monitoração

Infelizmente temos que levantar esta questão em um ponto no manual onde você, leitor, talvez não saiba o que significa "monitorar". Entretanto, este é um processo utilizado em toda estação de trabalho áudio digital, por isso precisamos pelo menos tentar cobrir aqui os princípios básicos dets ação. As únicas pessoas que não precisam se importar com a monitoração são aqueles que nunca usarão o Ardour para gravaçõesr ao vivo.

Monitorar é o termo que utilizamos para descrever o que você está escutando enquanto o ardour está gravando. Se você estiver tocando uma guitarra e gravando-a com Ardour, você ouve provavelmente próprio som da guitarra, mas há muitas situações onde confiar no som do instrumento é inadequado. Por exemplo, com um instrumento eletrônico, não há nenhum som até o sinal elétrico gerado seja processado por um amplificador que alimentará a caixa de som. Mas, se o Ardour estiver gravando o sinal do instrumento, quem é responsável por emiti-lo ao amplificador e caixas de som? Ainda mais complexo do que isso: se você estiver gravando múltiplas pistas ao mesmo tempo, cada musico precisará ouvir seu próprio instrumento, mas provavelmente precisará ouvir alguns de seus colegas também. Você pode fazer "overdubs" - gravar uma nova linha enquanto escuta as trilhas já gravadas - como você pode escutar a nova linha juntamente com o material existente.

Bem, esperamos que tenhamos convencido você de que existem algumas perguntas a serem respondidas, e que você deva pesquisar mais sobre o assunto.

Veja mais sobre monitorção no Manual Online do Ardour [http://ardour.org/manual/recording/monitoring

Posso usar mais de uma placa de som?

Existem algumas razões para que você não faça isso.

Mas, falando sério, poupe seu dinheiro para comprar uma placa multicanal já projetada para gravar diferentes sinais simultaneamente.

qjackctl


::::

O qjackctl é a maneira recomendada de usar o JACK. O JACK não tem interface gráfica - para iniciar o JACK e controlá-o, você precisa ter acesso a linha de comando e a um conhecimento básico em sistema operacional Unix. Entretanto, o qjackctl é uma aplicação maravilhosa que utiliza o JACK através de uma interface gráfica agradável visualmente e útil ao mesmo tempo.
Você deve iniciar o qjackctl a partir do menu "Aplicação" \textgreater "Som" de seu sistema, encontrado geralmente em "qpanel/appbar/dock"

2.3. Janelas


Quando o Ardour inicia sem uma sessão, há apenas uma única janela visível que chamamos de editor. Entretanto, o programa possui muito mais janelas que podem ser exibidas para várias finalidades:

Editor

Esta é a janela primária do Ardour. Contém a barra de menu principal, mais várias janelas separadas e o próprio editor.

Transport Bar

Esta janela fornece um controle completo sobre todas as funcionalidades de transporte do Ardour. Ela é inicialmente unida à janela editor, mas pode ser separada e mantida como janela independente se você preferir.

Mixer

Esta janela será exibida automaticamente sempre que uma Sessão é carregada, e fornece uma representação da Sessão que é modelada em um console de mixagem. Cada trilha e barramento tem seu próprio Mixer Strip, e existe também várias listas para coisas como Grupos de Mixagem.

Uma forma mais precisa para entender sobre a diferença entre the editor e o mixer é que o editor serve primeiramente para controlar o fluxo de tempo da Sessão, enquanto o mixer serve is primeiramente para controlar o fluxo de sinal.

Location + Markers Display

Esta janela é usada para exibir, editar e ajustar várias Posições e marcadores dentro de uma Sessão.

Options Editor

Esta janela é usada para ajustar muitas opções globais e por-sessão do Ardour.

Track/Bus Inspector

Esta janela opcional fornece um único ponto de controle para configurar todos os I/O’s e processos para cada trilha e barramento. Ela não oferece nada que as outras janelas não ofereçam, mas elas não agrupam várias coisas em um único lugar. Você decide se quer usar ou não esta janela.

Big Clock

Esta janela opcional fornece uma tela da posição da playhead (cabeça de reprodução) em uma fonte grande, podendo ser lida de um certa distância. Pode ser útil quando estiver usando o Ardour para gravar a si mesmo e você precisa ou quer manter-se a par do tempo.

Nota Técnica

Todas as janelas do Ardour possuem suas propriedades WMCLASS ajustadas para o “ardour”, de forma que você possa configurar seu window manager para organizá-las da forma que desejar.

2.4. O Editor

O Ardour utiliza duas interfaces: o editor e o mixer. O editor mostra a sessão representada em trilhas horizontais em uma linha do tempo, com material dentro das trilhas (áudio, MIDI, vídeo, dados da automação, etc.). O mixer mostra a sessão representando as trilhas como se fossem os canais de uma mesa de som, com controles de ganho, gravação, solo e assim por diante. Pensando de maneira abstrata, o editor representa os aspectos de uma sessão baseados no tempo, enquanto o misturador representa o fluxo do sinal.

Entretanto, é completamente possível controlar também os aspectos do fluxo do sinal dentro do editor, sem o detalhamento que o mixer fornece. Para algumas sessões, o editor pode ser a única janela que você precisa usar.

Disposição da janela do editor

Vejamos a disposição básica da janela do editor:

::::

Os controles básicos de cursor (tocar, parar, voltar ao início da sessão, ir até o final da sessão, gravar e “loop” - tocar em ciclo) estão em uma janela destacável no topo da interface do editor.

{ardour02_ctrlcursor.eps}

Controles do editor

Os controles do editor estão em uma janela destacável logo abaixo da janela de controle de cursor.

{ardour03_ctrleditor.eps}

Relógio do cursor de edição


{ardour04_clockedit.eps}

Este relógio mostra a posição atual do cursor da edição (cursor azul). Você pode editar a posição do cursor clicando diretamente no relógio se você desejar.

Teclas do zoom


{ardour05_zoom.eps}

As teclas do zoom permitem aproximar a visualização (“lente mais”) ou afastar (“lente menos”).
Clique em “zoom menos” para afastar “zoom mais” para aproximar sua perspectiva.

  • Relógio do alcance de zoom
{ardour07_zoom.eps}

O relógio da escala de zoom mostra a duração atual da linha do tempo que é visível na área de visualização da trilha. Não indica a posição da seção visível da linha do tempo, mas somente seu comprimento. Você pode aproximar ou afastar essa perspectiva editando este relógio diretamente. Isso pode ser útil se você quiser ver uma duração precisa dentro do editor.

  • Seletores do zoom
As duas teclas do zoom {ardour06_zoom.eps} permitem que você vá do máximo ao mínimos nível do zoom clicando somente nesse botões. O botão “visualizar toda sessão” {ardour08_zoom.eps} mostra a sessão inteira na área de visualização das trilhas.

  • Controle do foco do zoom
{ardour09_zoom.eps}

Quando você “der um zoom” haverá uma mudança naquilo que aparecerá na área de visualização da trilha. Entretanto, uma posição na visualização continuará a corresponder ao mesmo ponto na linha do tempo, e há diversas escolhas de como definir esse ponto. O comportamento padrão do programa é manter a borda esquerda (início da sessão) como referência para o zoom, mas você pode selecionar a opção do foco do zoom basear-se no final da sessão, no centro da sessão, no playhead (cursor vermelho que acompanha o play enquanto estiver tocando) e no cursor de edição. Qualquer destas opções é chamada de “foco atual do zoom”.

Para mudar o foco atual do zoom, clique sobre o triângulo ao lado da caixa para ver a lista de opções disponíveis. Clique sobre o foco que do zoom você deseja usar. A lista das escolhas desaparecerá, e a nova escolha do foco do zoom será utilizada.

Controle Snap - “Ajustar a”

{ardour10_snap.eps}

Ao mover objetos (trechos das trilhas) pela área de visualização, você tem a escolha de movê-los livremente ou de ter suas posições limitadas a determinados pontos ao longo da linha do tempo. Isso é especialmente útil quando você precisa mover um trecho da trilha e manter esse trecho de acordo com o tempo correto (beat). Isto aplica-se à região selecionada, ao playhead (cursor vermelho), ao cursor de edição, aos pontos de controle da curva e aos marcadores, entre outras opções. Se você quiser que as posições dos objetos seja limitado, a seguir você verá como escolher entre as diversas possibilidades. Este controle é conhecido como “snap” (pressão) porque ao mover objetos com o mouse, estes parecem estar sendo “agarrados” por estes pontos previamente determinados.

A maneira mais “óbvia” é o mapa do tempo, mas o ardour oferece muitas possibilidades diferentes:

  • BBT - você pode selecionar as divisões de um compasso em 64, 32, 16, 8, 4, assim como as cabeças de compassos, além da divisão dos compassos em 3
  • Extremidades das regiões
  • Pontos da sincronização da região
  • Limites da região - combina os começos e extremidades das regiões
  • Marcas}
  • Cursor de edição

Um único ponto é útil para alinhar diversos objetos ao mesmo local. Ajuste o cursor de edição à posição desejada, a seguir selecione a opção“ajustar ao Cursor de Edição” nas opções de ajuste, e então mova os objetos, que se agarrarão imediatamente à posição escolhida.

Seletor de ferramentas do mouse

{ardour10_ferramouse.eps}

O seletor de ferramentas do mouse está em uma janela destacável que contém algumas teclas usadas para selecionar o que o mouse (e frequentemente o teclado) farão ao editar as trilhas.

As ferramentas incluem:

  • Objeto (object) - Quando selecionada esta opção, o ponteiro do mouse parecerá como uma mão sempre que estiver sobre as trilhas. O mouse poderá ser utilizado para selecionar e executar operações em objetos tais como mover e ajustar o tamanho das regiões (indo na região colorida no canto inferior de uma pista, o ponteiro do mouse aparecerá como uma seta de duas pontas, então clique e arraste), adicionar os marcadores, etc.
  • Intervalo (range) - Quando selecionada esta opção, o ponteiro de mouse parecerá como uma linha vertical sempre que estiver sobre as trilhas. O mouse agora seleciona um ponto ou um intervalo de tempo de uma trilha, e poderá ser apagado, criando regiões independentes a partir de uma trilha. Estes intervalos podem ser selecionados sobre uma ou diversa trilha.
  • Ganho - Quando selecionada esta opção, o ponteiro do mouse parecerá como uma cruz, e poderá editar nuances do ganho desta faixa.
  • Zoom - Quando selecionada esta opção, o ponteiro do mouse aparecerá como uma lente de aumento sempre que estiver sobre as trilhas. Esta modalidade é usada para ajustar a visualização a toda a área que for selecionada pelo mouse.
  • Timefx - Quando selecionada esta opção, o ponteiro do mouse aparecerá como uma ilustração 'de expansão' distintiva sempre que estiver sobre as trilha ou. Esta modalidade é utilizada para redimensionar as regiões usando um algoritmo do timestretch.

Lista de Trilhas

{ardour11_trilhas.eps}

À esquerda da área das trilha fica uma região com a lista de todas as trilha da sessão. As trilhas que estão visíveis têm seus nomes indicados em cinza, quando escondidas têm seus nomes indicados em laranja.

Clique sobre o nome de uma trilha para visualizar ou esconder uma trilha no editor. Você pode clicar e arrastar qualquer trilha para reordená-las. Ao clicar sobre a barra do título da listas da trilhas, você verá o menu:

  • Esconder tudo
  • Mostrar tudo
  • Esconder todas as trilhas
  • Mostrar todas as trilhas
  • Esconder todos os barramentos de áudio
  • Mostrar todos os barramentos de áudio

Visualização da trilha

Esta é a área principal dentro do editor. Cada trilha é representadas por uma “faixa horizontal”, ao logo de uma linha do tempo acima deles, com um grupo de controles no lado esquerdo

{ardour12_nome.eps} - nome da trilha.

{ardour12_r.eps} - “r” (record) selecionar esta opção quando quiser gravar nesta trilha.

{ardour12_m.eps} - “m” (mute) silenciar.

{ardour12_s.eps} - “s” (solo) solar.

{ardour12_p.eps} - “p” (program) - lista de reprodução.

{ardour12_g.eps} - “g” (group) - editar grupo.

{ardour12_x.eps} - “x” - esconder trilha.

{ardour12_v.eps} - “v” (visual options) - opções de visualização.

{ardour12_h.eps} - “h” (high) - altura.

{ardour12_a.eps} - “a” (automation) - automações.

Linha do Tempo

No alto da área de visualização da trilha há a “Linha do Tempo”. Esta linha consiste em algumas réguas que determinam o tempo e outras opções relacionadas ao formato de compasso e metrônomo (beat).

As réguas disponíveis incluem:

  • Minuto:Segundo - indica o tempo em minutos+segundos, medido a partir do começo da sessão.
  • SMPTE (vídeo) - indica o timecode de SMPTE. O formato de SMPTE (25fps, 30fps, frame etc.) é selecionado em Opções de editor.
  • Quadros - indica os quadros (frames) de áudio. O número de frames de áudio por o segundo depende da taxa da amostra (sample rate) utilizada para gravação.
  • Compassos:Batimentos (BBT) - indicam os compassos e divisões dos compassos de acordo com o tempo do metrônomo (beat) selecionado na opção “Tempo” na Linha do Tempo.
  • VU (medidor volumétrico) - indica o formato do compasso (no caso 4/4), clique com o botão direito sobre esta pista para ajustar este padrão.Esta trilha pode conter um ou mais pontos de mudança ao longo da sessão
  • Tempo - indica o tempo utilizado pelo metrônomo em BPMs (batidas por minuto), clique com o botão direito sobre esta faixa para ajustar o BPM de sua sessão. Para ativar o metrônomo, clique em “Batimento” no canto superior direito da interface de editor. Esta trilha pode conter um ou mais pontos de mudança ao longo da sessão
  • Marcas de Localização - indica marcas que podem ser colocadas por você a partir de um simples clic nessa faixa, clique com o botão direito para opções de edição das marcas.
  • Intervalos de Loop/Inserção - indica o trecho da sessão que irá tocar em ciclos (loop), caso a opção “loop” esteja selecionada em “Controle de Cursor

Para mostrar ou esconder uma ou mais das réguas, clique sobre a área à esquerda dos nomes das réguas. Uma janela com o menu para seleção de cada uma das réguas disponível aparecerá. Clique sobre o nome para visualizar/esconder cada uma das réguas.

Há mais informação em como usar a linha do tempo no Manual Online do Ardour http://ardour.org/manual/editing/basic_editing

O Mixer

A janela mixer fornece uma visualização de sessão que imita um console tradicional de mixagem. Em vez de focar em arranjo de regiões ao longo da timeline, o mixer é projetado para permitir a manupulação de elementos do fluxo de sinal de uma sessão - controle de ganho, plugins, busses (barramentos) e assim por diante.



A área a esquerda do mixer contém três pequenos painéis verticais que permitem várias operações a serem criadas na área maior, que representa um console de mixagem.

As linhas que esboçam os três painéis menores possuem um pequeno quadrado perto de seus vértices. Este quadrado pode ser usado para redimensionar as quatro painéis que formam a janela do mixer. Arrastando cada um destes quadrados com o botão esquerdo do mouse, irá mover o canto.

Layout da Janela Mixer

Mixer Strips

Cada trilha e barramento (bus) é representado na janela do mixer por um mixer strip que contém vários controles relacionados ao fluxo de sinal. Há dois lugares no Ardour que podem ser vistos os mixer strips. A janela mixer é uma delas (a que trataremos aqui), mas você pode vê-la também em um único mixer strip na janela de edição clicando em editor mixer.

esta imagem precisa ser substituída com legenda e melhor resolução. O mixer strip para um bus é essencialmente idêntico àquele para uma trilha de áudio, mas faltam determinados controles que não fazem nenhum sentido - você não pode gravar em um bus, então não há botão para gravação habilitado, por exemplo.

Os mixer strips são projetados modelar visualmente o fluxo do sinal. O botão input seleciona a entrada da trilha que este mixer strip irá monitorar. As saídas da trilha (o ’tape recorder’) são ’hard-wired’ (conectados permanentemente por um cabo) às entradas do mixer strip. Pense do input ao strip, iniciando pelo interruptor de polaridade, fluindo abaixo através das inserções de prefader/plugins/seções de saída, através do fader ganho, após as inserções de postfader/plugins/seções de saída, o panner, e para fora através do seletor de saída. No caso de um bus, não há ’máquina de tape (fita)’ inserida entre o seletor input e o input real do strip, mas o fluxo de sinal é idêntico de qualquer maneira.



Controles de mixer strip

Botão Narrow Mixer Strip

O botão de estreitamento do mixer no topo à esquerda do mixer strip é representado com duas setas separadas por uma linha. Clicando neste botão irá reduzir o tamanho do mixer strip horizontalmente. Clicando nele novamente irá restaurar o tamanho anterior. O primeiro clique também tem o efeito de diminuir os nomes dos controles. Listas de plugin ficam muito pequenas neste modo, entretando mais faders ficam acessíveis sem precisar usar a barra de rolagem. Suas necessidades podem variar com a utilização deste botão.

Botão Hide

O botão oposto ao Narrow Mixer Strip oculta o mixer strip. Este botão não tem efeito sobre o signal flow (fluxo de sinal) ou muting (mudo). Quando um mixer strip está oculto, sua entrada na lista de strips fica escura. Para restaurar o mixer strip para o estado visível, clique em sua entrada na lista de strip com o botão esquerdo do mouse.

Track Name (Nome da Trilha)

O nome da trilha exibe o nome da trilha atual exibida na janela de edição. Clicar com o botão direito no nome traz um menu drop-down que perminte renomear, ativar, desativar ou remover a trilha. Selecionando Rename abre uma nova janela exibindo o nome da trilha. Para alterá-lo, digite o que desejar e clique em OK. Para deixar inalterado, pressione Cancel. Selecionando Remove abre uma nova janela questionando se deseja remover. Isto removerá a trilha do projeto. Se a playlist usada pela trilha removida não estiver sendo usada por qualquer outra trilha, esta também será removida.

Botão Group

O botão group (grupo) exibe o nome do grupo de mix atual selecionado. Se nenhum grupo estiver selecionado, será lido que não há grupo. Quando clicado, um menu drop-down aparecerá com listas dos grupos de mixer atuais, junto com a opção “nenhum grupo”. Se um grupo é selecionado, qualquer movimento no fader em um dos membros do grupo faders, será traduzido aos outros membros do grupo.

Input Selector

O seletor de entrada permite associar entradas de hardware ou software à trilha a qual este mixer strip monitora. Clicando na caixa input, aparecerá um menu drop-down que lista combinações de portas jack criadas, junto com as opções desconectar e editar. Você também pode selecionar uma combinação de entradas de hardware da lista drop-down, ou selecionar edit para abrir a janela de seleção de entradas que permite um controle fino, assim como alterar o número de entradas à trilha ou usar dispositivos de software como entradas. Para mais informação sobre esta janela, veja a seção outras janelas do manual. Disconnect remove todas as atribuições de entrada enquanto deixa o número de portas sem alteração.

Botão Polarity

O botão polaridade, quando pressionado, inverte a fase do sinal deixando a trilha e inserindo o mixer strip. Não tem nenhum efeito no sinal sendo gravado no disco. Não tem nenhum efeito no sincronismo do sinal, também.

Botão Solo

O botão solo coloca o mixer strip em modo solo. O indicador de solo na janela de edição piscará se qualquer mixer strip estiver em modo solo, e somente aquelas trilhas selecionada como solo serão distribuídas através do sistema.

Botão Mute

O botão mudo muta a saída do mixer strip.

Controle Track Speed

O controle de velocidade da trilha permite variar a velocidade e aplicá-la na trilha. Uma configuração de 1.0 corresponde à reprodução da sessão em velocidade normal. Uma configuração de 0.5 reproduzirá em uma velocidade parcial. Quando alterada, a trilha será reextraída para mostrar a nova posição do resultado do áudio de acordo com a velocidade alterada. O controle de velocidade da trilha possui três casas decimais de precisão. Um clique com o botão direito ou esquerdo no número exibido irá aumentar ou diminuir a velocidade da trilha por 0.1%. Quando a velocidade não for exatamente 1, a cor exibida ficará vermelha. Deixando o cursor sobre o número permitirá usar a roda do mouse para alterá-lo. Clicando com o botão do meio no número retornará exatamente à velocidade 1.

Botão Record Enable

O botão para habilitar gravação prepara a trilha para gravar. Pressionando ele, irá alterar a forma que você monitora e mede o sinal de entrada, dependendo do estado da configuração de monitoração nas opções do editor, assim como a configuração de entrada automática no editor.

Botões Automation Mode

Os botões de modo de automatização permitem selecionar os modos do fader ou pan de uma lista drop-down. Veja Mixagem:Automatização para mais informações sobre modos de automatização.

Redirect Boxes (Caixas Redirecionadoras)

Estas áreas escuras acima e abixo do fader permitem colocar inserções, sends (envios) e plugins no trajedo do sinal antes e depois do fader respectivamente. Você pode também facilmente reordená-los enquanto toca (reproduz). Coletivamente, os objetos trazidos nestas caixas são chamados de redirecionadores. Se houver redirecionadores no canal, eles podem ser reordenados arrastando-os verticalmente. Devido plugins e inserções poderem ter diferentes números de entradas e saídas, às vezes você pode ter uma situação onde as entradas e saídas não podem ser todas conectadas sensivelmente. Neste caso, sua reordenação não será permitida pelo programa.

Clicando com o botão direito na área escura, trará um menu drop-down que permite manipular os redirecionadores e várias formas.

new plugin -> selecionando novo plugin abrirá uma caixa que lista os plugins disponíveis em seu sistema. Selecionando um plugin que seja compatível com o número de streams no canal, resultará no plugin sendo colocado na caixa redirecionadora em estado inativo. Isso é indicado pelas marcas ao redor do nome do plugin. Um duplo-clique no nome do plugin trará uma janela que permite controlar os parâmetros do plugin estaticamente (incluindo desvio) ou usar automatização. Todos os plugins que reportam latência são automaticamente compensados por tempo no Ardour.

new insert -> colocar no mínimo duas novas portas jack nesse ponto no mixer strip (uma input, uma output). Estas portas então ficarão disponíveis a qualquer cliente jack (incluindo o próprio Ardour), permitindo outros programas (ou canais dentro de outro programa) serem inseridos através do canal. Portas hardware podem também serem usadas, claro, permitindo a inserção de equipamento externo. A inserção aparecerá, então, na caixa redirecionadora, com marcas indicando que está inativa. Para ativar ou desativar uma inserção, clique com o botão direito nela e selecione ’ativar’. Um duplo-clique na inserção trará uma caixa de diálogo que permite atrituir estes inputs e outputs a outras portas jack.

new send -> selecionando novo envio, trará primeiro uma caixa de diálogo que permite selecionar um número de saídas que o envío possui, junto com o destino de cada saída. Fechando esta caixa revelará o nome do envio em marcas, indicando que está inativo. Para ativar o envio, clique com o botão direito nele e selecione ’ativar’. Um duplo-clique no envio traz a caixa de diálogo anterior, que irá incluir um fader fornecido para controlar o nível.

clear (limpar) -> selecionando clear no menu remove todos os redirecionadores do mixer strip (pré e pós fader). Você pode remover um redirecionamento individualmente segurando a tecla shift e clicando com o botão direito nele.

cut, copy, paste -> estes itens permitem cortar, copiar e colar plugins, incluindo suas configurações atuais, entre Redirect Boxes.

rename (renomear) -> selecionando rename trará uma caixa de diálogo exibindo o nome do redirecionador selecionado. Altere o nome digitando na área de texto e pressionando OK.

select all/deselect all (selecionar/deselecionar tudo) -> estas duas opções permitem selecionar ou deselecionar todos os plugins no channel. Isso pode ser usado, por exemplo, na preparação para copiar todos os plugins de um canal para outro, junto com as configurações atuais.

activate/deactivate (ativar/desativar) -> selecinando qualquer uma destas, irá ativar ou desativar a seleção atual de redirecionador(es). Desativar é equivalente a ’desviar’. Note que você pode desviar um plugin em sua janela de parâmetros assim como deste local.

activate all/deactivate all (ativar/desativar tudo) -> selecionando qualquer uma destas, ativará ou desativará todos os redirecionadores no mixer strip. Desativar é equivalente a ’desviar’ se for um plugin.

edit -> selecionando edit trará os controles relevantes ao redirecionador selecionado. Isso é equivalente a segurar o Ctrl e clicar com o botão direito do mouse em um redirecionador. Note que só o clique direito não trará os controles do redirecionador selecionado, somente aquele abaixo do ponteiro do mouse.

Botão Pre/Post/Input

Este botão circula entre três modos de medição, que determina qual sinal é alimentado aos medidores. Os modos são pre-fader (o sinal da entrada ao fader), post-fader e input (o nível de entrada da trilha). Clicando com o botão esquerdo, dá um ciclo com três modos, um por vez, enquanto clicando com o botão do meio alterna entre a configuração atual e a configuração dois passos a frente. Isso permite um clique direto a/b comparando entre todos os pontos de monitoração disponíveis.

Gain Display

Este controle exibe o ganho atual do fader mais próximo ao 0.1dB. Clicando com o botão esquerdo no valor reduzirá o ganho por uma quantidade dependente sobre a posição do fader, as graduações se tornam menores como o fader se aproxima do ganho em 0dB. Clicando com o botão direito aumenta o ganho pela mesma quantidade. Clicando com o botão do meio restaura o ganho em 0dB.

Unit Selector

Clicando com o botão direito na barra de medição, permite você selecionar o range de níveis de sinal exibidos pelos medidores. O range selecionado será exibido como uma coluna de números próximos ao medidor. /*XXX esta característica não está em funcionamento atualmente*/ Gain Level Display

Peak Meter

Este controle exibe o maior pico, desde o ultimo pico medido. A restauração do pico do medidor é conseguida pelo clique-esquerdo no número exibido. O medidor de pico monitora o sinal selecionado pelo Botão Pre/Post/Input.. o mesmo sinal que os medidores. Podemos notar aqui que 0dBfs correspondem a um valor igual ao nível máximo de entrada ou saída de seu hardware de áudio, independente da profundidade do bit.

Gain Fader

O fader altera o nível de sinal dentro do mixer strip antes dos plugins post-fader, que ficam antes das portas de saída. 6dB de ganho são permitidos. Há vários atalhos disponíveis para o fader. Usando a roda do mouse enquanto passa sobre o fader irá alterar esta posição grosseiramente. Segurando a tecla Ctrl enquanto mexe na roda do mouse dará um controle fino. Segurando a tecla shift e clicando no fader irá restaurá-lo ao ganho da unidade. Segurando Ctrl e pressionando o botão do meio do mouse enquanto estiver sobre o fader, lhe permitirá ligar um controle midi a ele, desde que você tenha um dispositivo midi configurado no menu de opções.

Meters

O número de medidores exibidos próximos ao fader é independente do número de entradas ou saídas que o canal tem. Os medidores fornecem uma escala de graduação de cores de -50 dBfs a +6dBfs. Eles indicam o valor instantâneo do sinal no ponto de monitoração selecionado pelo botão Pre/Post/Input. 0dBfs corresponde ao valor igual ao nível máximo de entradas ou saídas de seu hardware de áudio, independente de sua profundidade de bit. Exceder 0dBfs não corresponde a execução fora do headroom dentro do mixer, ou em qualquer trajeto de sinal subsequente àquele ponto dentro do servidor Jack. Meramente significa que se aquele sinal está conectado diretamente à porta do hardware, cuja definição é menor do que 32-bit de defnição de ponto flutuante que o Ardour usa (ex.: uma placa de som), então aquela porta excederá seu nível máximo de saída, resultando em distorção. Atingindo 0dB dentro do mixer (ou qualquer ponto no servidor Jack), significa que você tem, aproximadamente, 100dB de headroom restantes. Como é improvável que você alcançará este ponto, isso não é representado de nenhuma maneira especial pelo medidor. Naturalmente, se a entrada é selecionada como o ponto de monitoramento para o medidor, excedendo 0dBfs significa que a entrada de seu conversor a/d foi grampeada.

Panner (Migrador)

No Ardour há, atualmente, dois panners. Devido qualquer mixer strip no Ardour poder ser distribuído em qualquer número de streams de áudio em qualquer lugar, a idéia de panning pode ser complexa. Para permitir o mundo mainstream stereo-central atual assim como o multi-speaker experimental, um dos dois estilos de panner aparecerão aqui, dependendo do número de saídas que o canal strip tiver. No caso de canais simples de mono input / stereo output, um único panner estará presente. A atual posição da pan é representada por um ponto (o ponto é o stream de áudio) que se encontra entre as letras ’L’ e ’R’, que representam as saídas esquerda e direita. Para alterar a posição do panning do stream, mova o mouse enquanto segura o botão esquerdo. O ponto seguirá o cursor do mouse. Para introduzir mudanças repentinas à configuração da pan, coloque o ponteiro do mouse sobre a posição desejada e clique com o botão do meio. O controle da pan irá fixar imediatamente para a posição do mouse. O panner pode ser desviado clicando com o botão direito no controle e selecionando bypass do menu drop-down. O panner será desviado imediatamente. O nível aumentado que você observa quando o panner é desviado, é devido à maneira que ele trabalha. Isso não é um bug (problema). XXX que lei de ganho é usada no panner?

No caso de uma combinação stereo input / stereo output, dois controles panning aparecerão, um corresponde a cada stream de áudio. Você pode linkar juntamente os controles de duas formas diferentes nesta situação, usando as setas de direção próximas ao botão link. Panners podem ser “linkados” para viajar em sentidos opostos ou para manter uma largura estereofônica consistente através do curso do controle. Esses dois modos são representados pela orientação das duas setas ao lado do botão link, que aponta para a mesma direção ou direções opostas. O botão link deve ser acoplado antes que você possa mudar o modo link. Para “linkar” todos os panners em um mixer strip, dê um clique-esquerdo no botão link, então selecione o modo de link desejado pressionando o botão marcado com setas.

Vamos complicar um pouco mais adicionando outra saída ao mixer strip. Deste ponto em diante, as posições do panning são representadas com pontos numerados em um campo quadrado. Pontos alaranjados representam as saídas, e os pontos numerados representam os streams. A posição das saídas mudam de acordo com o número de saídas no strip. Isso ocorre em ordem para permitir o arranjo utilizando o maior espaço possível. Em algum ponto, adicionar uma saída fará com que as saídas se alinhem da esquerda superior do quadrado do panning para o centro. Isso permite que a ’multi-speaker big sweep (grande varredura do multi-speaker)’ ocorra - onde o som é migrado de speaker para speaker ao redor da sala em sequência.

Não esqueça que você pode desviar o panner clicando com o botão direito e selecionando bypass do menu drop-down. Isso pode simplificar a configuração de seu multi-speaker, como frequentemente neste tipo de projeto a migração entre todos os speakers ou saídas, não é obrigatória em todas as trilhas.

Output Selector

O seletor de saída permite que você atribua as saídas de cada mixer strip. Um clique-esquerdo no seletor de saída faz com que uma lista de leitura de portas de saídas apareça em um menu drop-down, junto com opções de edição e desconexão. Selecionando Edit permitirá que você altere o número de saídas que o canal tiver, assim como selecionar as portas de software e hardware para distribuir sinais. Para mais informação na janela que aparece quando você seleciona esta opção, veja a seção outras janelas do manual. Disconnect deixará o número de portas de saída inalterado, mas removerá todas as atribuições às portas de saída.

Scratch Pad

Esta é a área de texto abaixo do botão output. Permite que você insira quaisquer notas que ache relevante àquela trilha. As anotações são armazenadas quando a sessão é salva.

Strip List

A lista Strip fornece uma interface simples ao layout do mixer strips no mixer. Mixer strips no mixer possuem dois estados possíveis - visível e oculto. Mixer strips podem também ser colocados em qualquer ordem no mixer. Rearranjar a ordem dos mixer strips não tem efeito no fluxo de sinal da sessão. Os nomes de todas as trilhas em sua sessão são listados em sua ordem atual. Mixer strips ocultos são mais escuros do que os visíveis. Um único clique esquerdo no nome da trilha removerá o mixer strip do mixer, e altera a cor do item na lista strip. Esta ação não tem efeito no fluxo de sinal. Arrastando um nome de trilha verticalmente com o botão esquerdo do mouse, irá rearranjar o mixer para mostrar a ordem selecionada quando o botão do mouse é liberado. Clicando na palavra “Strip” no topo da lista strip abrirá uma lista drop-down de atalhos para ações que alteram a lista strip (e, consequentemente, o estado do mixer).

show all -> altera todos os mixer strips ocultos para o estado visível

hide all -> altera todos os mixer strips visíveis para o estado oculto

show all AudioTrack? Mixer Strips -> altera todos os mixer strips ocultos que são trilhas de áudio para o estado visível

hide all AudioTrack? Mixer Strips -> altera todos os mixer strips visíveis que são trilhas de áudio para o estado oculto

show all AudioBus? Mixer Strips -> altera todos os mixer strips ocultos que são barramentos de áudio para o estado visível

hide all AudioBus? Mixer Strips -> altera todos os mixer strips visíveis que são barramentos de áudio para o estado oculto

No fundo à direita da lista strip, uma caixa quadrada fornece um método para redimensionar o painel. Segurando o botão esquerdo do mouse enquanto arrasta o quadrado verticalmente moverá o canto mais baixo da lista strip.

Group List

O painel de lista de grupo fornece uma interface para criar e controlar o estado dos grupos mix presentes no mixer. Grupos mix fornecem um método de junção de faders, de modo que um movimento em um fader traduza para todos os outros faders no grupo.

Uma nova sessão irá conter um grupo, chamando todos. Este grupo pré-ajustado se refere a todos os mixer strips?? o que esse ’todos’ faz aqui? Quaisquer grupos novos que você criar serão listados neste painel. Um clique-esquerdo no botão Mix Groups abrirá uma janela entitulada “Name for a new mix group”, que contém uma área de texto escura. Insira um nome para seu novo grupo mix na área de texto. Um clique-esquerdo em cancel irá fechar a janela “Name for a new mix group”. A lista de grupo não será afetada. Um clique-esquerdo em ok criará um novo grupo mix. O novo grupo será listado no painel de grupos com uma caixa vazia próxima a seu nome. Todos os mixer strips irão conter agora o nome do novo grupo em seu botão group. Selecionando o novo grupo em um mixer strip irá atribuir o controle deste canal fader de ganho ao grupo selecionado, mas somente se o grupo estiver ativo. Um clique-esquerdo na caixa próxima ao nome do grupo ativará o grupo.

No fundo à direita da lista de grupo, uma caixa quadrada fornece uma forma de redimensionar o painel. Segurando o botão esquerdo do mouse enquanto arrasta o quadrado verticalmente moverá o canto mais baixo da lista de grupo.



voltar para Ardour <- você está em 2. Ardour Básico -> próximo tópico 2. Ardour Básico - continuação

Last modification: 16/03/2007 at 03:53, by: criscabello