voltar para Ardour <- você está em 6. Exportar -> próximo tópico 7. Mixagem


Manual do Ardour: 6. Exportar

Esta sessão explica formas de converter sua sessão em vários formatos para ser usada por outros softwares ou sistemas.




4.1. Exportando para o CD


Índice

Um Índice é uma descrição dos dados armazenados em uma mídia. No caso de Cds de áudio, o TOC (Table Of Comments, ou seja, Índice) vem em forma de dados PQ que é misturado com o dado de áudio quando o CD é queimado. Devido o dado PQ não ser parte de um formato de arquivo de áudio 'normal' como wav ou aiff, esta informação deve ser armazenada em um arquivo separado em seu computador (um arquivo CUE ou TOC) pronto para ser usado pelo seu software de gravação de CD que combinará os dois.

No momento, o Ardour pode exportar arquivos TOC e CUE contendo o red-book de campos relacionados a Track, Index, ISRC, SCMS e Preemphasis. Os campos TITLE, COMPOSER, PERFORMER e disc title do CD-TEXT são suportados também.

Marcadores de range no Ardour podem ser 'promovidos' a serem trilas de CD na janela de posições. Marcas (marcadores de ponto) podem ser promovidos para CD Indexes na mesma janela. Todas as operações TOC/CUE se juntam a isso.

Supondo que você tenha várias canções em seu timeline de forma que seus espaços e níveis estejam 'corretos', conforme você escutou, deve então ajustar ranges que representam o ponto de início e fim de cada trilha. Estas se tornarão pontos de início e fim em seu CD. Os tempos de início são todos arredondados para baixo ao frame precedente do CD (que são 75/segundos) na exportação. Então, se você quer ouvir o ponto exato que seu CD player iniciará, selecione 'CD frames' como sua configuração de snap enquanto faz isso. Se quiser trilhas indexadas (ninguém faz, mas estão lá), insira um marcador de posição para cada index desejado.

O diálogo das posições é útil aqui, como você pode 'ir' a um ponto exato da posição de audição de uma marca/range.

Pregap

Uma palavra sobre pregap:

Um CD redbook 'normal' deve ter um espaço em branco (digital black) de 2 segundos antes da primeira modulação chamada pregap. Idealmente, sua primeira canção terá sido colocada a 2 segundos do início, mas você sempre pode arrastar a coleção completa de canções para a direita facilmente neste ponto.

Note também que pode ser divertido quebrar a regra destes 2 segundos. Você pode criar o pregap da forma que quiser.. até mesmo esconder todo o som nele. O player ainda irá tocar a trilha quando o disco for inserido. Somente os ouvintes com mania de rebobinar antes do começo encontrarão seu som/latido escondido. Tenha em mente que há um pregap para cada música e inicia onde a música anterior termina. Em outras palavras, se você deixar um gap nos ranges entre as músicas 2 & 3, este gap somente irá tocar para aqueles que escutam o CD completamente. Qualquer salto diretamente para a faixa 3 irá perder sua 'longa' introdução secreta.

Após configurar um range não-sobreposto para cada trilha (sobreposições em trilhas de CD são removidas ao exportar, da esquerda para a direita, assim como índices que não estão dentro de uma trilha), abra a janela de posições e crie seus ranges nas marcas da trilha clicando no botão do CD. Preencha as informações que você ache necessário nas caixas abaixo. Campos não utilizados serão ignorados assim como os arquivos TOC/CUE exportados.

Títulos de trilhas CD-TEXT são adquiridos do nome do range. O título CD-TEXT do CD é adquirido do nome da sessão (eu deveria ter dito isso primeiro, certo?).

Nota: Pre-emphasis (pré-ênfase) está lá para aqueles tipos estranhos que usam isso (eles também usam índices de trilhas). Você, certamente, pode não querer pre-emphasis. Um ISRC válido é tudo em maiúsculo, 12 caracteres.

Arquivos Cue

Arquivos Cue não têm noção de 'final'. São chatos. Acham que o final do arquivo é o final da última trilha. Se você quiser usar arquivos CUE, você tem que ter certeza que a marca do final da sessão esteja fixada aos frames do CD (antes de exportar, claro), ou então use a opção -pad quando queimar o CD.

Exportar a Sessão

Agora exporte a sessão para um arquivo (16bit 44.1kHz para CD), selecionando o tipo de arquivo cue de sua preferência (TOC ou CUE). O arquivo TOC/CUE é escrito no mesmo diretório dos seus arquivos de áudio, e possuem o mesmo nome, somente com '.toc' ou '.cue' adicionado. Normalmente você irá apenas selecionar as duas saídas master para exportar, com a saída 1 sempre à 'esquerda'. A exportação é colocada em fader e panner. Não assuma que o som será idêntico após você ter truncado/dithered para 16 bits. Pode ser de viável experimentar com diferentes configurações de dither quando criar sua exportação.

Checar os detalhes sem queimar CD

cdrdao show-toc blah.wav.toc

para corrigir um problema, faça suas alterações, então use a opção 'export toc file only' (exportar somente arquivo toc). Se você quiser alterar a marca no final da sessão, deve re-exportar seu arquivo de áudio.

Queimar

cdrdao write /home/britney/globalsmash.wav.toc

Uma última observação:

Se você não criar qualquer range do CD Track e exportar um arquivo TOC/CUE, a sessão inteira é tratada como uma trilha sem pregap. Índices, se presentes, serão honrados.

FAQ


A: DCA foi amável por se preocupar. Esperançosamente, logo permitirão uma implementação GPL.

  • E quanto ao número de catálogos para o CD?

A: virá eventualmente.. precisamos de uma tab para completa-sessão de variáveis como estas. Onde colocá-las? No export dialog ou menu de opções?

Obrigado Nick Mainsbridge por seu trabalho em escrever isso.



voltar para Ardour <- você está em 6. Exportar -> próximo tópico 7. Mixagem

Last modification: 16/03/2007 at 04:44, by: criscabello