Blog: Documenta


Description

Last modified: 06/02/14 - 22:15     RSS feed

Antitotem - Objetos sonoros nos fluxos da cidade



Exposição Antitotem
Objetos sonoros nos fluxos da cidade.

A mostra Antitotem trás uma série de objetos sonoros eletrônicos, criados a partir de técnicas de construção de instrumentos e de suas relações com o ambiente.
Pesquisa e exposição de Lúcio de Araújo
Projeto selecionado no edital de Arte Digital n° 090/12 da Fundação Cultural de Curitiba 2012

Abertura: 11 de dezembro de 2013 às 19hs
Período: 11/12/2013 à 09/03/2014
Local: Centro de Arte Digital - Portão Cultural da Fundação Cultural de Curitiba
Rua República Argentina, 3430 - Portão - Curitiba - PR - Brasil

tags: noise, música, arte, analógico, synth, eletrônica, sintetizador, exposição, arte digital, diy, eletrônica musical, antitotem, caixa musical

posted by: lucio_araujo on: 21:09 - 05/12    |    permalink    |    add comment

Oficina: Introdução à eletrônica aplicada a experimentos sonoros

Salve amigos,

Estou organizando mais uma oficina aos interessados em aprimorar seus conhecimentos em arte e eletrônica.
Segue as informações:



Introdução à eletrônica aplicada a experimentos sonoros

Ministrante:
Lúcio de Araújo

Natureza do evento:
Iniciação (nível básico)

Número de vagas:
15 (quinze)

Público Alvo:
Interessados em arte, música, tecnologia e eletrônica

Data:
Sábado – 19 e 26 de outubro de 2013

Período:
Manhã e tarde

Horário:
8h às 12h e 14h às 18h

Local:
Laboratório do Centro de Arte Digital – Portão Cultural da Fundação Cultural de Curitiba - Curitiba

Ingresso:
Gratuito

Modo de Inscrição:
Via telefone - 41-32294454

Total de encontros:
2 (dois)

Carga horária total do curso (horas aula):
16 (dezesseis) horas

Critérios para seleção dos participantes:
Idade mínima 12 anos. Não é necessário ter conhecimento prévio em eletrônica.

Descrição da atividade:
A oficina, de caráter introdutório, visa a construção de protótipos de instrumentos eletrônicos musicais de baixa voltagem. Para tanto, serão apresentados alguns componentes eletrônicos e controles básicos, que conforme organizados produzem diferentes sons. A manipulação e combinação desses aparatos eletrônicos resultam em criativos objetos sonoros.

Objetivo geral da atividade:
A Oficina de Eletrônica Musical tem por objetivo a experimentação musical a partir da construção de instrumentos eletrônicos analógicos, elaborados por componentes eletrônicos, controles e objetos.

Objetivos especificos da atividade:
- Conhecer e construir alguns circuitos básicos voltados à produção musical (oscilador, gerador de ruído, sequenciador, amplificador, misturador, filtros, etc);
- Conhecer procedimentos básicos na elaboração de protótipos de instrumentos musicais eletrônicos;
- Compreender a usabilidade dos diferentes componentes eletrônicos;
- Conhecer os códigos e esquemas da eletrônica básica;
- Desenvolver projetos de instrumentos musicais eletrônicos;
- Praticar a improvisação musical;
- Estimular a pesquisa musical e eletrônica;
- Refletir sobre os processos de áudio, eletrônica e luthieria;
- Conhecer a usabilidade das ferramentas básicas de eletrônica;
- Se divertir;

Referências Bibliográficas:

ANDERTON, Craig. Electronic projects for musicians. 1992.
ANDREY, João Michel. Eletrônica básica: teoria e prática. São Paulo: Ridel, 1999.
BERTINI, Luiz. Eletrônica Básica. Editora Antenna Edições Técnicas. 2008.
COLLINS, Nicolas. Handmade electronic music : the art of hardware hackin. 2006.
GHAZALA, Reed. Circuit-bending: build your own alien instruments. 2005.
MIMS III, Forest M. Getting started in electronics. 1994.

tags: oficina, música, analógico, synth, eletrônica, sintetizador, arte digital, diy, eletrônica musical, antitotem

posted by: lucio_araujo on: 19:37 - 09/10    |    permalink    |    add comment

Como instalar o Dspace 1.8.x no Ubuntu 11.10

Instalando os aplicativos pré-requisitos

Abra Aplicativos > Acessórios > Terminal e execute os seguintes comandos:

sudo apt-get install openjdk-6-jdk

sudo apt-get install tasksel

sudo tasksel


Selecione os seguintes pacotes:
(Use a barra de espaço para selecionar os aplicativos da lista)
[*] LAMP server
[*] PostgreSQL database
[*] Tomcat Java server

Use tab para selecionar o botão OK, em seguida tecle enter

Instale então o ant e o maven2:

sudo apt-get install ant maven2

Crie então o usuário do banco de dados (dspace)

sudo su postgres

createuser -U postgres -d -A -P dspace

escreva uma senha (selecione uma senha como dspace)

Negue a opção seguinte:
Shall the new role be allowed to create more new roles? (y/n) n

Saia do prompt do postgres teclando:

exit

Permita que o usuário do banco de dados (dspace) se conecte aos dados do banco:

sudo gedit /etc/postgresql/8.4/main/pg_hba.conf

Adicione a linha abaixo no final do arquivo:

local all dspace md5

salve e feche o arquivo

Reinicie o PostgreSQL:

sudo su

e

/etc/init.d/postgresql-8.4 restart

Crie um usuário Unix chamado dspace, atualize sua senha (passwd), crie um diretório no qual você irá instalar o Dspace e certifique-se que esse usuário dspace tenha privilégios de escrita nesse diretório:

sudo useradd -m dspace

sudo passwd dspace (escreva qualquer senha como por exemplo: dspace para esse novo usuário do dspace)

sudo mkdir /dspace

sudo chown dspace /dspace

Crie um banco de dados postgreSQL dspace

sudo -u dspace createdb -U dspace -E UNICODE dspace

Configure o Tomcat para que ele reconheça as Dspace webapps:

sudo gedit /etc/tomcat6/server.xml

Insira a seguinte sequencia de código na linha superior ao image

image

salve e feche o arquivo

Os seguintes passos referem-se ao download do Dspace em seu site oficial, descompacte-o no diretóio atual. O diretório Dspace-1.x.x-src-release é tipicamente referido como [dspace-src]

sudo mkdir /build

sudo chmod -R 777 /build

cd /build

baixe o Dspace pelo endereço:

http://www.dspace.org/latest-release

tar -xvzf dspace-1.8.2-src-release.tar.gz

cd /build/dspace-1.8.2-src-release

mvn -U package

cd dspace/target/dspace-1.8.2-build

sudo ant fresh_install


Fixe as permissões do Tomcat e reinicie o Servidor Tomcat

sudo chown tomcat6:tomcat6 /dspace -R

Reinicie o Tomcat

/etc/init.d/tomcat6 restart

Crie uma conta para um administrador inicial (e-person) no DSpace:

/dspace/bin/dspace create-administrator

Teste o Dspace no seu navegador

Isso é o necessário para que o Dspace funcione no Ubuntu. Existem duas webapps principais que provem uma interface similar para o repositório

http://localhost:8080/xmlui
http://localhost:8080/jspui

fonte: http://linuxhalwa.blogspot.com.br/2011/12/installing-dspace-18-on-ubuntu-1004.html

tags: tutorial, ubuntu, acervo, instalação, digital, repositório, web, arquivo, dspace, install, postgres, tomcat, ant, maven2, banco de dados

posted by: lucio_araujo on: 09:38 - 05/06    |    permalink    |    add comment

Oficina de Eletrônica Musical Experimental - 2ª Edição

2ª Oficina de Eletrônica Musical Experimental

oficina


A oficina é uma introdução a construção de protótipos de instrumentos eletrônicos musicais de baixa voltagem. Serão apresentados alguns componentes eletrônicos e controles básicos, que conforme organizados produzem diferentes sons. A combinação e manipulação desses aparatos eletrônicos resultam em criativos instrumentos musicais. A música produzida pode ser chamada também de Chip Music.

Confira o álbum de fotos da 1ª edição da oficina


dia 03/09 de 2011
das 10h às 18h – sábado

Local: NULIB – Núcleo de Arte e Tecnologia do Paço da Liberdade SESC Paraná
Praça Generoso Marques – Curitiba – PR

Inscrição:
R$ 20,00 usuários do SESC
R$ 10,00 comerciários e dependentes

tags: oficina, hacklab, curitiba, experimentação, sesc, eletrônica musical, nulib, luthiaria, eletrônica artesanal

posted by: lucio_araujo on: 11:07 - 23/08    |    permalink    |    add comment

Oficina de Eletrônica Musical Experimental

image

A oficina aborda a construção de protótipos de instrumentos eletrônicos de baixa voltagem para produção musical. Propõe a criação de instrumentos eletrônicos básicos, com componentes organizados em uma protoboard (matriz de contato). Propõe ainda a composição musical e improvisação. O resultado musical é comumente chamado de "Chip Music". A oficina é direcionada a pessoas interessadas em música, tecnologia e eletrônica.



Confira o álbum de fotos da oficina

Ministrante: Lúcio de Araújo
Data: 19. 21. 26 e 28/07/2011
Horário: 19h às 21h
Local: Laboratório de Artes Eletrônicas - Paço da Liberdade - SESC Paraná
Praça Generoso Marques, 189 - Curitiba - Paraná
Telefone: 41 3234 4200

tags: oficina, curitiba, experimentação, sesc, eletrônica musical, nulib

posted by: lucio_araujo on: 14:50 - 07/07    |    permalink    |    add comment

Como consertar vídeos com áudio em um único canal

Muitos vídeos apresentam o seguinte problema no áudio: quando verificado através de um fone de ouvido o um dos canais (lado direito ou esquerdo) está sem áudio (mudo). Para consertar esse problema é necessário duplicar o canal onde o áudio está normal, descartando o canal mudo.

Através do mencoder é possível executar a operação de modo simples e rápido, basta acrescentasr o parâmetro -stereo 1 ou -stereo 2 (para saber qual deles só mesmo testando, pois irá depender se o áudio que está funcionando é no lado direito ou esquerdo. O comando fica assim:

$ mencoder video_com_problema.avi -oac -oac mp3lame -lameopts cbr:br=128 -stereo 1 -ovc copy -o video_convertido.avi

Obs: o comando deve ser copiado sem $ do ínicio e executado no diretório em que o arquivo se encontra




tags: vídeo, áudio, mencoder, canal, estéreo, stereo, mudo, problemas com áudio

posted by: lucio_araujo on: 08:26 - 27/04    |    permalink    |    add comment

Lançamento do Caderno de Viagem *Trânsito à Margem do Lago* no Ay Carmela! -

Olá,

Segue a divulgação do Lançamento do Caderno de Viagem no Ay Carmela! em São Paulo-SP.

Contamos com a sua presença.


Espaço Ay Carmela!
Domingo - 28/11/2010 - 15:30hs
Rua do Carmelitas, 140 - Sé
São Paulo / SP
http://ay-carmela.birosca.org/node/524

lançamento

CADERNO DE VIAGEM

Publicação realizada de maneira colaborativa. Seu processo de elaboração deu-se em três etapas: a primeira partiu do convite a pessoas que, por seus fazeres e modos de estar, dialogam com questões sobre as quais o projeto Trânsito à Margem do Lago se debruça; a segunda etapa ocorreu ao longo da deriva realizada durante os 30 dias do mês de janeiro de 2010, assumindo um caráter mais processual (ao passo dos encontros e acontecimentos, novos conteúdos eram agregados ao Caderno – fotocopiado e distribuído durante o percurso, esse material foi um importante objeto para novas relações); a terceira etapa aconteceu após o retorno a Curitiba, também agregou contribuições de colaboradores e somou parte da documentação gerada durante a deriva.

Com o Caderno, nosso desejo é ampliar o território de convívio entre as línguas por meio da afirmação de uma cultura mestiça desde a origem, já que a edição contempla os idiomas português, espanhol e guarani. Sabemos que, apesar da proximidade geográfica, persiste algo como um abismo comunicacional entre essas distintas matrizes culturais, estigmatizadas pelas instâncias de poder e pelo controle social ao longo dos séculos.

Outras vontades: coletivizar pensamentos sobre o lugar e seu cotidiano e estabelecer organicamente um campo comunicativo entre as pessoas ao redor do lago e pessoas de outros lugares por onde o Caderno vier a circular.

São 800 exemplares a serem distribuídos gratuitamente. Seu conteúdo também está publicado no site http://www.margemdolago.transitos.org/

Todo material produzido neste projeto está disponibilizado sob licença Creative Commons - Atribuição-Uso? Não-Comercial-Compartilhamento? pela mesma Licença 2.5 Brasil - http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/2.5/br/


TRÂNSITO À MARGEM DO LAGO (1)


Durante 30 dias do mês de janeiro de 2010, transitamos pelas margens do Lago Artificial de Itaipu. O impulso inicial para essa ação surgiu por percebermos – apesar da proximidade geográfica e da política de integração dos mercados – uma considerável lacuna entre as culturas brasileira e paraguaia. Assumimos que pouco conhecíamos sobre esses universos, e à medida que buscávamos informações compreendíamos que muitas eram obscuras, superficiais ou deturpadas. Surgia para nós um abismo chamado “fronteira” e, com ele, a vontade de adentrarmos nessa realidade.

Na década de 1970, a construção da Usina Hidrelétrica Binacional de Itaipu deflagrou um elevado crescimento populacional, decorrente do corpo de trabalhadores que lá se estabeleceu. A criação da represa resultou na expropriação de diversos grupos – como colonos, ribeirinhos e indígenas – das margens do complexo de rios afetados, caracterizando o lugar por intensos fluxos migratórios. Em meados da década de 80, modelos tradicionais de cultivo foram perdendo espaço para a monocultura, devido à mecanização e aos incentivos ao agronegócio. Como consequência, um processo de desestruturação do modo de vida camponês culminou novamente em êxodo. Atualmente, nos dois lados da fronteira prevalece uma paisagem homogeneizada, controlada sobretudo por multinacionais. Entretanto, se no Paraguai o esvaziamento de vilarejos é uma constante, no Brasil a política de desenvolvimento incentiva uma identidade regional balizada pelo turismo.

Nesse ambiente, tomamos a atitude nômade como princípio deflagrador das relações e situações criativas de contato. Nossa ação é, portanto, uma prática efêmera ativada pelo encontro. A rota de viagem foi definida tanto por experiências em cada lugar como por indicações de pessoas que conhecemos pelo caminho, tendo como ponto de partida Foz do Iguaçu. O transporte local serviu como meio para nossa inserção nos fluxos cotidianos.
Estar de passagem foi nossa escolha por ser um modo de operar comum àquele lugar, uma estratégia de tomada de espaço que desconsidera o pertencimento enquanto fixação, uma vez que redefine o território a cada momento e necessita do movimento para existir. Essa atitude frente ao lugar é um caminho para a reflexão artística dos trânsitos e migrações contemporâneos como modos de existência.

Na transitoriedade buscamos o elemento humano, a experiência colaborativa e o alargamento da concepção de relação. Consideramos que os encontros são causadores de transformações subjetivas nos agentes envolvidos e que as proposições artísticas inclinadas às questões de memória e códigos de poder ativam percepções sobre o lugar. Compreendemos que o ato criativo reverbera através de várias possibilidades extensivas, como imagem mental, arquivo e circulação. Por fim, prezamos pela cumplicidade e horizontalidade nas relações.

Trânsito à Margem do Lago foi ainda uma residência artística no Ponto de Cultura Kuai Tema, que ocorreu por meio da comunicação diária via blog (http://margemdolago.nosdarede.org.br). Esse modo de integração midiática propiciou encontros de ordem conceitual e simbólica, caracterizando nossa residência.


(1) Trânsito à Margem do Lago, selecionado no Edital Interações Estéticas – Residências Artísticas em Pontos de Cultura 2009. Edital fruto da parceria entre a Fundação Nacional de Artes (FUNARTE) e a Secretaria de Cidadania Cultural/MinC.



tags: são paulo, lançamento, publicação, livro, caderno de viagem, transito a margem do lago, transitos

posted by: lucio_araujo on: 13:17 - 25/11    |    permalink    |    add comment

Comando Find para deletar arquivos antigos

Segue o comando:

$ find . -type f -mtime +5 | xargs rm -f

No diretório atual tudo o que for do tipo f (arquivo) cuja última alteração se deu a mais de 5 dias deverá ser apagado.

fonte; usuário mameli
http://under-linux.org/f95/script-para-exclusao-de-arquivos-antigos-81130/

tags: script, comando, find, deletar

posted by: lucio_araujo on: 16:49 - 18/11    |    permalink    |    add comment

Não há que se conquistar o poder, há que destruí-lo.

...
"Votar é abdicar" Élysée Reelus

Não obstante, os escravos modernos sentem-se ainda cidadãos. Acreditam que votar e decidir livremente
quem conduzirá seus assuntos como se ainda pudessem escolher.
Mas quando trata-se de escolher a sociedade que queremos viver, vocês acreditam que exista
uma diferença fundamental entre a social-democracia e a direita nacionalista na França? entre os democratas e republicanos nos Estados Unidos? Entre liberais e conservadores na Colômbia?
Não existe nenhuma oposição, visto que os partidos políticos estão de acordo no essencial: a conservação da presente sociedade mercantil.
Nenhum dos partidos políticos que possam ter acesso ao poder põe em questão o dogma do mercado. E são esses mesmos partidos, os que com a cumplicidade midiática, se camuflam nas telas. Riem por pequenos detalhes, com a esperança que tudo continue igual. Disputam em saber quem ocupará os postos que lhes oferecem, o Parlamento Mercantil.
Essas pobre crenças são difundidas por todos os meios de comunicação, com a finalidade de ocultar um verdadeiro debate sobre a escolha da sociedade que queremos viver.
A aparência e a futilidade, dominam sobre o enfrentamento das idéias. Tudo isso não se parece nada,
nem de longe, à uma democracia.
A democracia real, define-se em primeiro lugar antes de tudo, pela participação massiva dos cidadãos
na gestão dos assuntos da cidade. É direta e participativa. Encontra sua expressão mais autêntica
na Assembléia Popular e no diálogo permanente da vida em comum.
A forma representativa e parlamentar, que usurpa o nome de democracia, limita o poder dos cidadãos ao simples direito de votar, ou seja: a nada.
Escolher entre cinza claro e cinza escuro não é uma escolha verdadeira.
As cadeiras parlamentares são ocupadas em sua imensa maioria pela classe economicamente dominante. Seja da direita, ou da pretensa esquerda social democrata.
Não há que se conquistar o poder, há que destruí-lo.
É tirano por natureza. Seja exercido por um rei, um ditador ou um presidente eleito. A única diferença no caso da democracia parlamentar é que os escravos tem a ilusão de escolher, eles próprios, o mestre que deverão servir. O voto os fez cúmplices da tirania que os oprime. Eles não são escravos porque existam mestres, mas sim, os mestres existem porque eles escolheram manter-se escravos.
...

fonte: Da servidão moderna

tags: voto, poder, democracia, da servidão moderna

posted by: lucio_araujo on: 00:24 - 30/10    |    permalink    |    add comment

Dos excluídos da cartografia à cartografia dos excluídos

Dos excluídos da cartografia à cartografia dos excluídos - resistência, arte e subversão

author: Jorge Montenegro, Lúcio de Araújo, Pedro Henrique sent by: lucio_araujo
on: 07/10/10
type: Audio

Os mapas são invariavelmente representações abstratas que expressam um determinado ponto de vista: mostram o que se pretende como verdade e ocultam aquilo que se quer tornar invisível. Tradicionalmente, a representação cartográfica exerce função de afirmaç...
(read more...)

downloaded: times comments: 0 license:

tags: arte, palestra, mapa, resistência, ufpr, subversão, cartografia, excluídos, geografia, mesa redonda


tags: arte, cartografia, excluídos, geografia, mesa redonda, subvresão, mapas

posted by: lucio_araujo on: 14:44 - 07/10    |    permalink    |    add comment

Page 1 of 3